Telefone (51) 3029.0100 contato@amodeoebeck.com.br

O Planejamento Tributário, que antes era visto como algo complicado pelos empresários, tem sido cada vez mais aceito e implantado pelas empresas. Se você está neste ramo, muito provavelmente já deve estar cansado de ouvir sobre Planejamento Tributário. Isso porque, não é novidade que os diversos impostos e tributos que devem ser pagos pelas empresas, além de complexos, geram despesas e dores de cabeça.

Essa complexidade em muitos casos, faz com que mesmo sem intenção as empresas deixem de pagar impostos por falta de conhecimento. Ou seja, gastos desnecessários.

Mas aí surge a dúvida: como o  Planejamento Tributário pode auxiliar minha empresa? Para responder a esta dúvida, elencamos os principais erros na gestão tributárias que podem onerar o custo da empresa e sobre os quais o planejamento poderá atuar diretamente. São eles:

  1. Escolha errada do regime tributário

O planejamento tributário deve ser uma prioridade, e consequentemente, a escolha do regime tributária tem a necessidade de passar por uma reavaliação anual.

Para isso é necessário um bom conhecimento dos dados da empresa, dos produtos ou serviços oferecidos e os impostos que cabem a ela. Com estes dados, a realização da reavaliação do tipo de regime poderá efetuar  comparativos com projeções de incrementos ou ainda em um cenário pessimista de retração evitando gastos desnecessários para o próximo ano calendário.

  1.    Desconhecer as mudanças na lei

Um obstáculo enfrentado pelas pequenas, médias e grandes empresas é a complexidade da legislação do Brasil, que passa por constantes mudanças, além de leis específicas sobre cada segmento.

Contar com profissionais capacitados para acompanhar estas alterações, assim como compreender e entendê-las é de suma importância para a empresa, pois eles saberão a como aplicá-las corretamente na sua empresa.

  1. Não atentar à origem e ao destino dos produtos

É necessário levar em consideração as diferentes regulamentações ao realizar a gestão tributária, tais como a localização da empresa e os produtos ou serviços oferecidos, assim como a verificação da classificação destes, a fim de identificar se poderá vir a ocorrer a substituição tributária.

  1. Faltar com as obrigações acessórias

Em comparação ao resto do mundo, as obrigações acessórias que devem ser entregues aos órgãos governamentais brasileiros são consideravelmente maiores, assim como a burocracia que diz respeito aos trâmites envolvidos nos pagamentos de tributos.

Dessa forma, a otimização de tempo e custos com a gestão tributária das empresas resultam na melhoria dos processos, além de evitar as penalidades legais. Vale ressaltar também que essas documentações protegem as empresas diante das fiscalizações.

  1. Falta de investimento em ferramentas e profissionais

O investimento em profissionais capacitados e em ferramentas que contribuem para controle e segurança da gestão tributário, é algo primordial para uma empresa.

Ao contar com um sistema moderno que proporciona o melhor recolhimento, armazenamento e filtragem de dados, a empresa terá a garantia de um controle mais seguro para emissão de notas fiscais, elaboração de declarações fiscais e lançamento de guias dos recolhimentos de tributos.