Telefone (51) 3029.0100 contato@amodeoebeck.com.br

Um dos assuntos mais discutidos entre executivos em 2017, o sistema de registro de informações por trás do bitcoin, o blockchain, ainda vai atrair muito mais atenção e investimentos nos próximos anos.

De acordo com a empresa de pesquisa IDC, os gastos globais para desenvolvimento de produtos e serviços que têm como base o blockchain chegarão a US$ 9,2 bilhões em 2021, um salto de 10 vezes em relação aos US$ 945 milhões registrados em 2017. Para 2018, a projeção é de US$ 2,1 bilhões.

“Ano passado foi de experimentação, com empresas descobrindo os benefícios e os desafios do blocjchain. Já 2018 será crucial na medida em que elas saem das provas de conceito para projetos de adoção de maior porte”, informa Stacey Soohoo, gerente de pesquisa da IDC, em comunicado da empresa.

Bill Fearnley, diretor de pesquisa da companhia, ressaltou como motivadores desse crescimento a colaboração entre empresas de tecnologia em consórcios como o Enterprise Ethereum Alliance e o Hyperledger Project, que têm o objetivo de criar modelos de uso e melhores práticas para adoção do blockchain.

No comunicado, ele também destacou as avaliações positivas por parte de bancos centrais e órgãos reguladores, que pode acelerar a adoção em mercados regulados, como o setor financeiro.

O blockchain permite registrar informações com mais segurança, rastreabilidade e, eventualmente, com custo menor de infraestrutura do que com modelos tradicionais, baseados em sistemas de bancos de dados.

De acordo com a IDC, os Estados Unidos serão o maior mercado de blockchain nos próximos anos, representando 40% dos gastos em 2021. A América Latina e o Japão apresentarão os crescimentos acumulados mais acelerados no período, com 152,5% e 127,3%, respectivamente.

Fonte: Valor Econômico